Thursday, 31 January 2008

Cortesia ao volante: A um passo da felicidade

Todos nós gostamos de quando um carro abranda para nos dar passagem. Com um breve aceno ou um ligar fugídio dos quatro piscas, agradecemos a essa alma que permanecerá no anonimato para todo o sempre. Nunca mais teremos chance de um dia o convidarmos para um café, e dizer : "Obrigadinho por me ter deixado passar naquele dia".

Mas os ganhos sociais são imensos. Por momentos, interrompemos os nossos pensamentos para , subliminarmente concluirmos que a esperança e as coisas boas ainda existem. Que nem tudo está assim tão mau. Que por breves nanosegundos, encontrámos uma alma que esteve em sintonia com as nossas dificuldades e fez algo para mudar isso.

Por outro lado, a pessoa que deixa passar, não espera por esse tal cafézinho, embora secretamente o anseie se por acaso o carro que deixou passar foi um descapotável com uma loura ao volante. Fica apenas com a boa sensação de que , como pessoa, é capaz de proporcionar bem estar.

Isto pode parecer filosofia ensaísta inconsequente, mas se pensarmos que passamos uma importante parte do dia ao volante, e se multiplicarmos isto por um sem número de oportunidades em que podemos escolher o nosso comportamento, se calhar interessava pensar um bocado acerca do que é que podemos ganhar em sermos cortêses ao volante.

O aceno vigoroso seguido de um acender de máximos de um camião da TIR que lutava por inverter a marcha numa rua movimentada, graças a termos parado e bloqueado o transito nessa faixa, são um bálsamo poderosíssimo que podemos guardar durante todo o dia. O melhor reconhecimento que podemos ter, é sabermos que fizemos algo de útil para outrém.

Receio que estas palavras ecoem na cabeça algo perturbada de, por exemplo, um proprietário de BMW. Os proprietários de BMW, são por definição indivíduos egocêntricos que na incapacidade de se destacarem pelos seus actos, tentam fazê-lo exibindo aparelhos de lata e plástico futurísta estupidamente caros fabricados na Alemanha com componentes indianos.

O proprietário de BMW e afins (PBMWA), só precisa de uma mão para guiar, porque a outra está permanentemente ao télemovel. O PBMWA, pensa que o respeito é unilateral e convergente á sua pessoa. Como se respeito e poder se pudesse comprar na Baviera. O PBMWA, enerva-se solenemente por o progresso andar a passo de caracol, e ainda não ser possível guiar sem olhar para a estrada, e o carro não travar sozinho.

O PBMWA, quando atropela uma criança ou um idoso, por circular a cento e quarenta pelo meio de Campo de Ourique, ainda demora uns minutos para sair do carro, pois está a terminar uma chamada. O PBMWA, enerva-se solenemente por toda a gente utilizar a via pública, especialmente camioes, pessoas , bicicletas, autocarros, e motos. E carros mais baratos. Basicamente, o PBMWA julga que a soma astronómica de dinheiro com que foi roubado a sangue-frio, quando adquiriu o automóvel, lhe dá plenos poderes e direito de aquisição sobre todas as faixas da esquerda em Portugal. Garante que isso deve estar escrito em algum lugar dos papeis que lhe deram no stand...

Todos nós , quando não somos corteses ao volante, somos como os PBMWA: Uns frustrados malcriados egocêntricos e perigosos que nunca hão-de ter paz de espírito. Dormem com o "Blutute" na orelha, e tudo. Não tomam banho, porque isso os faz perder tempo.

Os ganhos estrondosos em termos de bem-estar e de sentirmo-nos realmente como parte de uma sociedade que procura um amanhã melhor, tem de ser experimentados, para serem percebidos. Amanhã, quando vir aquele Corsa velhinho a tentar sair da praceta, ou um puto a tentar atravessar a estrada para ir para a escola, dê-lhe uma hipotese! Verá que o seu dia vai correr lindamente...

Se vir um BMW, ignore e acelere! Ele faria o mesmo! Deixe -o lá ficar a enervar-se mais um bocadinho.

( Dedicado ao estúpido que em 02 de Agosto de 2007, por volta das dez da manhã, se despistou em Campo de Ourique ao volante de um Série 3 preto , enquanto atendia uma "chamada importante", atropelou duas pessoas, e destruiu uns carros estacionados...)

3 comments:

Valielen said...

Hahah! Gostei imenso deste post :)
Acho piada quando apesar de estarem bastantes carros a minha frente, esses PBMWA tentam cortar pela faixa de dentro e meterem-se no meu espaco de seguranca como se cortarem a minha frente lhes desse menos 5 minutos da viagem.

É nessas que o meu peugeotzito vai um bocadinho mais depressa só para os ver de cara carrancuda quando ficam presos atrás do lorry.

Tenho muito a agradecer a condutores simpaticos que me deram "a break" quando estava a comecar a conduzir.

Alexandra Moura said...

Esses individuos frustrados deviam ser pura e simplesmente impedidos de conduzir.

nando007 said...

Adorei este post ! :)