Wednesday, 23 January 2008

Imaginem um país onde...

...uma pessoa que queira adquirir um automóvel, clássico ou não, encontra preços justos e adequados, transferindo a propriedade dos mesmos gratuitamente em menos de duas semanas. Um país onde não se circula a cento e setenta dentro das localidades, e onde não se apita passados dois centésimos de segundo após abrir o Semáforo. E onde sinais de luzes,constantes, apenas significam "avance,amigo!", em vez de um Burgessomobil ( BMW) a "amandar" faróis na Auto-estrada, porque a faixa da esquerda " é dele".

Um país onde podemos colocar película escura nos vidros, rebocar carros á corda, sem triângulos nem coletes reflectores , colocar motores Jaguar V8 em Ford Transits, fazer o que nos der na cabeça desde que tenha rodas,sem que isso origine acidentes,havendo uma sinistralidade baixissima. Onde por dá cá aquela palha podemos reunir os amigos e ir "apertar" com os carros para um autódromo de renome,próximo de casa, e por meia dúzia de tostões, em vez de nos tornarmos criminosos irresponsáveis na ponte Vasco da Gama.

Um país onde "ir para os copos" significa imediatamente alugar um táxi, ou uma limousine. Onde as pessoas não estacionam nos lugares dos deficientes" porque sim", e onde as pessoas batem nos vidros de carros que estão a estacionar a oferecer o talão do parquímetro porque se vão embora.

Um país onde ir a um centro de inspecções, é um acto amigável, sem suspeitas de favorecimento e corrupção, onde o técnico nos informa cordialmente o que temos de fazer para resolver a avaria ou defeito que originou a reprovação. Um país onde a Polícia não nos cumprimenta militarmente com óculos escuros e pose de Gestapo, pedindo " Os documentos da viatura", porque não precisa.Tem um sistema" ANPR", que em milésimos de segundo analisa a legalidade do carro. Num dos rarrissimos casos em que os policiais se dirigem a um automobilista, é com uma simpatia e educação a toda a prova. " Mr Silva, sorry to disturb you, but did you noticed that your Nearside rear sidelight has gone off?" Como consequência, existe um sentimento generalizado que nem sequer vale a pena tentar pôr o "pé em ramo verde".

Um país onde frequentar encontros de clássicos significa trazer uns "Tupperwares" e fazer um picnic á moda antiga, entre Jaguares e Minis. Gratuítamente e na relvazinha, ao fresquinho. Sem pagar somas astronómicas de inscrição . Não num restaurante com quatrocentas pessoas á espera uma hora para serem servidas, divididas em "grupelhos" da marca. A mesa dos "Jaguares", a mesa dos "MG", e ali pró fundo, os gajos dos "mini"...

Desisti de ir a certos encontros portugueses, quando me começaram a exigir mais do que o valor que paguei pelo carro, por um simples dia de "concentração " . Uma pessoa restaura o carro, gasta o dinheiro, gasta gasolina, e depois ainda tem de pagar para ir a um encontro...E depois a "organização " é que está de parabéns...Mais vale gastar o dinheirinho a ir com a familia e os putos comer uma "ganda" caldeirada a Peniche...

Imaginem um país, onde os vizinhos dizem-nos com muito pesar, que não sabem o que hão-de fazer para retirar um Jaguar XJS V12 da garagem que pertenceu ao avô, porque o reboque fica muito caro...E não compensa! Se nós sabemos de alguém que o queira ...

Um país onde não corremos o risco de ter de dar mil contos por um Mini ou um Renault 4. Ou por um Carocha. Onde pelo preço de um Opel Astra velho podemos aceder a carros da esfera do sonho. Não apenas a bicicletas ferrugentas.

Não é preciso imaginar muito...basta vir passar uma temporada ao pais dos autocarros vermelhos de dois andares e do Big Ben...E imaginar que a vida poderia ser assim...

5 comments:

cadu1981 said...

mais um blog que vou passar a ler diariamente!!!
eras gaijo pra me arranjar ai um job!!!


concordo plenamente contigo e ando com uma vontade imensa de bazar daqui pra fora!!!

Mike Silva said...

"aterrar" num pais como Inglaterra e gostar de automóveis, é como se nascessemos de novo... Mal podemos acreditar. De repente, é como se tudo fosse um pesadelo que terminou.

Boa viagem. Cá te esperamos.

Valielen said...

Estou a adorar e aínda só li o primeiro post. Lendo o que escreves quase parece que estás a descrever um sitio qual País das Maravilhas na qual aterramos depois de seguir o coelho. E depois lembro-me de apitar a uma senhora no parque de estacionamento para lhe dar o bilhete que dava para o dia todo. Ou até o mecanico explicando-me sem olhar de lado o que tinha sido substituído e porque, dizendo-me para mandar passear os mecanicos de conversa de pub lá no trabalho por me virem com tretas. E aí lembro-me que é onde estou. Thanks Mike por partilhares esta tua visao.

Fernando said...

Parabéns pelo blog!
Embora as pessoas saibam que estão mal deixam-se andar porque não sabem o quanto estão mal comparadas com países realmente europeus.

nando007 said...

Talvez para quem numca lá esteve é dificil adivinhar qual o país. Mas a realidade é essa, só tenho pena do volante ser no lado direito. É que levamos algum tempo a nos habituar que a manete de velocidades está na outra mão e não está na janela. :)