Saturday, 22 August 2009

Marseille

Lloret de Mar: Adolescentes imberbes e reformados vêm aqui de propósito. Eu vim comprar um iman para o frigorífico...E ala daqui para fora.( Minha rica Sesimbra...)




Para falar a verdade, nunca fui muito de ir a outros países " balneares". Para quê? Quando se conhece a Lagoa de Albufeira ou a Fonte da Telha, ou a Praia da Mata, com aquele comboio que é um dos poucos exemplos restantes na península ibérica de narrow gauge inglesa, é difícil pensar que haverá algo que valha a pena a diferença.
Ainda por cima alguns dias depois de ter passado umas manhãs horríveis na Lagoa, a ouvir gajos a vender gelados com cornetas para trás e para a frente, de páis a gritar com o Francisco para não pôr areia no iogurte, e de ter de estacionar a pão-de-forma em cima de um lancil com dois palmos, e ter de andar depois quase quinhentos metros para estender a toalha em cima dos pés de um adolescente, e sobre a cabeça da dona Maria de Massamá, ir para praias não era propriamente o que tinha em mente.

Para ajudar ao clima, eis que passo pela praia-obrigatória dos estudantes imberbes e reformados portugueses ( LLoret de Mar) onde a custo consigo estacionar para comprar um iman para o frigorífico ( Um vício que me vai levar`a perdição, eu sei...) mas foi só. Chusmas e chusmas de reformados e putos com a barba ainda a crescer, e um transito infernal, LLoret de Mar é tão atraente como cobrirmo-nos de mel e deitarmo-nos ao sol junto a um formigueiro. Portanto, malta reformada e putos que acabaram o 12 ano: A não ser que seja para passar o fim de semana a beber cerveja barata e a levar negas da loura da turma B, vão antes para a Costa que ficam servidos namesma. E além disso, qualquer gato pingado com uma pão-de-forma velha de 1964 vai a LLoret de Mar , por isso não é grande coisa.



O charme de uma carrinha com 50 anos. A prova de que os clássicos não é só gordos de cachimbo e descapotável.



A surpresa, veio sob a forma de uma requintada praia a poucos quilómetros da fronteira francesa, Roses. Com um aérodromo simpático que se pode ver os aviões da estrada a aterrar, espaço para estacionamento razoável e gratuíto, coloca LLoret a um canto. Pela paisagem fenomenal, pela praia forrada de jovens de topless, pelos restaurantes e arquitectura cuidada, cercados por alamedas de canais onde repousam barcos topo de gama, e pela hipótese de experimentar ski, jet ski ou paraquedas a reboque por preços módicos. ( 50 Euros por hora parece-me bastante aceitável. Volta de avião sobre a região, com duração de meia hora, 70 Euros. )

Por uma hora, troquei a Pão-de-Forma... A bela praia de Roses.




Cheguei entretanto a Marseille, na Cote de Azur, cidade belíssima das perseguições dos filmes. Pode ser que faça uma perseguição com o James Bond atrãs da Pão-de-Forma, num Aston Martin. Nunca se sabe.

Até amanhã.

2 comments:

TÓ-ZÉ said...

...Xipetaculo...he he he Miguel no seu melhor...continua que vais bem...

mariam said...

Mike,

Antes de tudo, muitos Parabéns!
P'lo lançamento do livro em Portugal, que sei ter sido um sucesso! ... já li e gostei muito, obrigada p'la gentileza.

A carrinha ficou fantástica! Parabéns também por esta aventura! Boa continuação do périplo... que vou acompanhando por aqui...

Mike, fez História !

um grande abraço e o meu sorriso :)
mariam