Friday, 21 August 2009

BARCELONA!

Se eu quisesse, dava para jogar às cartas. Próximo de Soria. O casaquinho, é que ainda são sete da manhã, e está friozinho. Dentro de três horas estariam 42 graus...


Desculpem lá.



Não consigo pronunciar esta palavra, sem me vir à cabeça aquele hino de Montserrat Caballé e Freddie Mercury. Sim. A velha pão-de-forma de 1964 " dos ciganos" que ninguém passava cartão e dizia que " já devia estar no ferro-velho" ( em 1989) fez já 1600 Km.



Após uma travessia " do piorio" de Espanha ( Será antes Marte? Ou o deserto da Califórnia?) com 42 graus, poucas áreas de serviço e subidas a 40 à hora com camiões colados ( e danados por não conseguirem ultrapassar...) eis que chego à cidade de Gaudi, onde a par com a imponente catedral da sagrada família, uma modernidade surpeendente cumprimenta o visitante.



Catedral da sagrada família, Barcelona. Impressionante.




Com uma praia repleta de belas jovens de biquinis de uma só peça é extremamente difícil apreciar a arquitectura da cidade debaixo de 35 graus. Por isso, praia com ele! E a pão de forma, permanentemente requisitada pelas mesmas jovens para tirar fotos.
Barcelona é uma cidade descontraída e moderna, onde surpreendentemente existe pouco bulício próprio de grandes cidades. " Não vás com "isso" lá para dentro!" - aconselhavam-me desde sempre , quando dizia que ia a Barcelona com uma carrinha de 1964. Não faz sentido. Circulei por todo o lado, e mesmo ao lado da catedral, estacionei GRATUITAMENTE, onde os turistas tiravam fotos ao lado da pão-de-forma.
Deixei acabar o combustível na tirada de ontem ( 572 KM) mas como tinha um "jerrycan", bastou abastecer e continuar. Reparei o fio da buzina, e meti um taco de madeira entre o pára-choques e o escape,porque fazia um barulho que parecia uma Ford Transit velha a trabalhar.

Quanto a conclusões motorizadas nesta etapa, concluo que o "progresso " e as auto-estradas, são só para meia-dúzia,porque milhares e milhares de camiões vêem pela estrada nacional, entupindo-a e deixando a Auto-Estrada livre. Para que servem então as Auto-Estradas? Progresso?

Depois temos " A CEE". Um bicho que obriga muitos países a curvarem-se sem reservas e a prestar-lhes vassalagem incondicional, destruindo as referências de sempre, baralhando a vida às pessoas e construíndo Aeroportos, Auto-Estradas e TGVs insustentáveis, mas que a outros apenas origina um leve sorriso acompanhado de ouvidos de mercador.
Se bem se lembram, era "proibido" haver postos de combustível debaixo dos prédios: Era perigoso, e " agora era a norma da CCE".
Pelos vistos aqui, acabou a graxa para Bruxelas,porque postos em prédios é mato! Depois , a estupidez de municípios " desenvolvidos" de criar parques para motos, é apenas mais uma medida para ostracizar um meio de transporte de massas económico e urbano por excelência: Na terra de Gaudi, milhares e milhares de motos estacionam impune e gratuitamente sobre qualquer lugar, tornando-as numa escolha prática. Parques para motos, é matar o conceito de moto. É como vender preservativos picados com um alfinete. É Os responsáveis que criam parques para motos, são uns burgessos de todo o tamanho. Eu ando de moto,porque é prático como o caraças. Paro mesmo em frente, em cima do passeio. Se eu tiver que ir colocar a moto num "parque" da próxima vez que fôr ao Banco, podem crer que para a próxima, em vez de uma Vespa levo um Ford Escort velho.

Bom, deixo-vos por hoje, porque estão por aqui umas espanholas a amandarem-se para a piscina à bruta, e estão a molhar-me o laptpop. Sim. Eu sei que é foleiro trazer o laptop para a piscina. E depois? São dez da noite, e estão 22 graus...
Até já.





Anos e anos a ir de moto para a praia, é no que dá. Força do hábito. Mas a malta dos "aspiradores" desculpou...

1 comment:

Bus Driver, said...

Boa sorte para o resto da viagem!

Vou continuar neste lado, atento aos desenvolvimentos,

Abraço,