Sunday, 18 May 2008

Inglaterra/Portugal num carro de 50 contos



Sai mais barato comprar um carro e ir a guiá-lo para Portugal, do que comprar um bilhete na TAP! E esta? ( embora não perceba porque alguém iria comprar um bilhete na TAP, com tanta companhia de baixo custo que não nos trata como passageiros de segunda, mal descobrem que somos portugueses...)


Os "entendidos" que falam no parque automóvel envelhecido, e no perigo que os carros menos novos oferecem para a circulação, falam do alto de um gabinete com carro á disposição. É muito fácil falar de carros novos e tal, quando se tem a barriga cheia. O que se passa , é que as pessoas nem sempre podem comprar o carro que desejariam. E muitos chefes de família, culpabilizam-se por não poderem comprar a última palavra em tecnologia, e julgam que estão a pôr a família em perigo.

O Sala das Máquinas efectou a experiência de conduzir um carro que custou 200 Libras ( 50 contos), um Vauxhall Cavalier ( Opel Vectra )Turbo Diesel 1.7 de 1994, desde Manchester até Lisboa. Sem serviço de assistência em viagem, nem ferramentas. Se avariasse, largavamos-lhe fogo! É claro que outras experiências deste tipo envolvendo percursos mais longos e violentos foram bem sucedidas, mas este percurso é largamente utilizado por muitos de nós, e mostra paragens que mais cedo ou mais tarde, quem vive no UK poderá ter de fazer.
Eis o relatório:

0300 Saída dos arredores de Manchester, pela M6.

0500 Paragem na área de serviço da M1, para desentorpecer as pernas e tomar um cafézinho. O Cavalier nem soluçou até agora.

0810 entrada no Eurotunnel. Que desgosto! tudo porco e malcheiroso! E caro!



1015 ( mais uma hora no fuso ) chegada a Calais, e partida em direcção a Paris.

1230 Paris, e dali para fora com a ajuda do Satnav



1415 Paragem para reabastecer em Le mans. Nada mau! o depósito deu para 1000 Km. A uma média sem ser "a partir" , de 100,130. Tudo impecável, e suave. nada a assinalar.

2100 Entrada no Pais Basco,após ter gasto 70 Euros em Portagens. Paragem em Irun para pernoitar, e jantar . A gente vem nas calmas. Ver um pouco de televisão Basca, e ó-ó...


Segundo dia:

1000 Saída do País Basco, entrando em Miranda del Ebro.



1330 paragem para reabastecer em Salamanca . Mais mil quilómetrozitos em cima.Até agora, nem um suspiro. Tudo se comporta excepcionalmente bem, e os bancos são bastante confortáveis.
1530 Entrada em Vilar Formoso. Claro, e os problemas começaram: A GNR mandou parar-nos, porque o pendura vinha ao telemóvel! não viram que era um carro inglês. Mal se aperceberam, mandaram seguir.


1800 Entrada em Sacavém, para apanhar o caos da Segunda Circular. Pontaria! Mas não faz mal, pois estamos a ouvir a TSF! Estamos em Portugal! Já agora apanhemos o Ferry!


Margem Sul " at last!"

Uma viagem sem sobressaltos, cumprindo uma distância de 2700 Km, num carro de 50 contos. Perigoso? Difícil? Aventura? Nem pensar. Os carros são como os cães: Tem a ver com o dono. Os condutores é que são perigosos e inexperientes, os carros, desde que tenham quatro rodas podem fazer o impossível.Não é preciso andar sempre a caminho da financiadora para nos empenharmos com o último grito da tecnologia.

Um automóvel bem mantido, pode ir até ao fim do mundo, e mesmo ser mais fiável do que os "computadores sobre rodas" que temos como opção no momento. Não fazem grande vistaço junto dos vizinhos, mas fazem com que nos deitemos descansados por não os irem roubar, e porque já estão pagos.
O pior, desta viagem toda, foram os gajos no café de imperial em punho, a dizerem-me muito desolados que " para estar em Inglaterra e trazer um carro destes, mais vale não trazer nada..."
Mas o que interessa, é que esta experiência correu bem, e que pude então saborear umas sardinhas assadas numa esplanada em Peniche, e trazer na mala uma motorizada Casal desmontada para restaurar e mostrar aqui em Inglaterra. Nunca viram nada assim!

(Este Vauxhall, regressou a Inglaterra do mesmo modo)
























9 comments:

Dom Fuas. said...

Gostei da cronica, sou fã dos carros de 50 contos, que já me levaram a muito lado sem problemas, e me tranquilizam em relação a ladrões e a financiadoras.. um grande bem haja..

Mike Silva said...

Quanto pode desvalorizar um carro destes? Este tipo de carros é um desenrasque muito grande para quem precisa, e como se vê, vão a todo o lado.

obrigado pelo seu comentário, dom fuas.

Santcarlos said...

Hi Mike.

Esse motor 1.7 TD é espantoso pela sua fiabilidade.

Não quero deixar de salientar, que um Opel Vectra 1.7 TD, de 1994, NÃO custa em Portugal 50 Contos, em média custa, 2.500 euros (500 Contos) e mesmo na Alemanha, pode custar em média, 1.500 euros (300 Contos), ... a realidade dos LHD é bem diferente dos RHD.

De qualquer modo concordo, que desde que não se faça mais de 1.000 Kms por semana, não vale a pena ser refém das finaciadoras.

Abraço,

Mike Silva said...

Hmmm! Interessante!

Mas uma coisa é certa! Em Portugal, nem LHD, nem RHD!

Uma pessoa para ter um carrinho, tem de suar. E muito.

Eu quero lá saber se tem volante á esquerda ou á direita. O que é facto, é que eu consigo comprar um bom carro com um salário normal neste País. Essa, é que é essa.

Alguém se importaria de comprar um Porsche 911 Carrera II de 1998 com o volante á direita pelo preço de um Focus em Portugal? Ou um Subaru Impreza de 2000 pelo preço de um Astra?

Eu cá não! Nem que não tivesse volante!

Mike Silva said...

A propósito: Se quiserem saber o preço dos carros em Inglaterra, é muito fácil: Peguem no preço em contos,e substituam por Libras!

( Por exemplo, um carro de 300 contos=300 Libras )

Seja qual fôr! Clássico, moderno, camião...

E a Libra está a 1 Euro e 20...( aprox.)

Façam a experiência.

Diogo said...

Eu comprei uma carrinha BMW 320 d em Telford, por 6200 Libras, e de facto o preço em contos em Portugal, anda próximo dos seis mil!

Nunca tinha pensado nisto!

Mas que grande roubalheira!( Lá)

Eu lá, nem para um Clio tinha!

4speed said...

Tal como o Santcarlos já referiu, o carro em questão é um alemão com pacemaker japonês!
Por isso 100% fiável.

Mas concordo consigo, "o condutor também faz o carro".

Boa crónica... agora aguardamos o desenvolvimento do restauro da moto.

Cumps
Ricardo

Débora Nóbrega said...

Gostei do post!
Estou prestes a fazer uma viagem igual a essa mas com partida de Dartford e chegada ao Algarve!
E tambem nao vou em nenhum carro financiado...LOL
Fiquei-me por um Vauxhall Omega!

bffgr said...

Boas,

Quero comprar um carro em Inglaterra para trazer para Portugal e utilizar para pecas (e portanto nao estou a pensar matricular o carro em Portugal).
Como e que fez a transferencia dos documentos do carro em Inglaterra (nao precisa de ter uma morada la?)?
E em termos de seguro em que companhia o fez?
So mais uma pergunta: fez algum documento de exportacao (informou a DVLA)?
Temos de parar em algum controlo fronteirico desde Inglaterra ate ca?
Obrigado pela ajuda.

Bruno (bffgr@yahoo.com)