Monday, 12 May 2008

Ainda acerca dos encontros de clássicos


Pensei que isto era só em Inglaterra. Isto de não se cobrar nada nos encontros de clássicos, e cada um trazer o seu farnel, sem correr o risco de ser olhado de lado, como "pobretanas". Já o ano passado em Katowice, na Polónia, foi o mesmo.Não se pagou nada, e até houve cervejas á borla. Na Alemanha, em Kassel, idem. (Já com os franceses, nada, pois também são gananciosos)

Regressado da Irlanda, onde matei dois coelhos com uma cajadada só, frequentei um encontro de clássicos em Ballymena. Mais uma vez, nem sinal do "restaurante" , da "inscrição", do "porta-chaves" e da "T-shirt" . ( Bom, espero que os encontros ainda tenham a decência de dar uma migalhinhas em troco dos altos valores que cobram...Não me digam que nem isso dão agora?...)

Eis que "apenas" me foi proporcionado um extenso relvado, e um lago . E uma banda a tocar. A "Inscrição", foi ter de ir com dois colegas irlandeses encostar a barriga ao balcão do Pub, e beber duas Guiness.

Tenho pena dos meus amigos entusiástas em Portugal, doentes por clássicos como eu, que ainda não conseguiram curar-se do "embuste" dos restaurantes. O restaurante, é uma desculpa esfarrapada para cobrar umas dezenas de Euros aos participantes.

Ora porque carga de água, digam-me lá vocês, eu que arranjo um carro, restauro um carro, faço-lhe o seguro, mantenho-o, e trago-o a um encontro, tenho de pagar "inscrição".

Expliquem-me, se faz favor, que eu, sinceramente não percebo!

O trabalho da "organização"? Eu encho já um autocarro de pessoas dispostas a trabalhar gratuitamente num encontro. Conforme eu trabalhei em muitos em Portugal, enquanto o espertalhão do organizador ensacava as notas...

Organizar? Organizar o quê? Um espaço amplo para todos confraternizarem?Uma praça de um município ou um jardim? Andar para tras e para a frente a passear um colete a dizer "organização" e a dar palmadinhas nas costas aos "Dr." e "Eng"?

Mas eu dou o desconto. Eu compreendo. No clube onde sou sócio em Lisboa, há mais de 15 anos, um dos participantes era jocosamente ostracizado por trazer um "Tupperware " com sandes . É um senhor reformado , muito participativo, mas relegado por causa dos "senhores" dos restaurantes. Nunca mais vi o senhor. Possívelmente, sentiu-se envergohado de não poder ir como todos os outros ao restaurante.

E pronto. Temos assim os encontros transformados em eventos para pelintras em bicos dos pés, que nem comem durante a semana para poderem ir a um encontro, e para ricos e privilegiados.

Poupo-vos o trabalho de me vilipendiarem: " Então se gostas tanto disso aí, fica por aí". Jà adivinho nas muitas cabecinhas que conheço.

Ah pois fico! Ao menos posso escolher por entre dezenas de encontros gratuitos, que são sempre um sucesso, porque possibilitam ás pessoas frequentarem estes importantes eventos que fomentam a preservação do veículo clássico.

No fim de cada evento destes, convivi com pessoas de todos os extratos sociais, de todos os backgrounds profissionais e sociais, e sobretudo fiz amigos .E passei a tarde a rir, a falar, e a confraternizar. Não se incomodem comigo, que eu por aqui estou entre os meus...

Acompanharei os encontros portugueses na "Caras" e na "Lux"...


3 comments:

Pedro Barata said...

Nem mais...
Em Portugal tudo o que é bom é logo "açambarcado" como exclusivo para aqueles que têm mais posses, os outros que fiquem com a assinatura da Sport TV para ver o futebol, que esse é que é o desporto do povo e assim vai continuar.
Depois ainda se queixam que a "malta" não gosta de caviar, ora toda a vida a comer frango, ás vezes basta um molhinho diferente para já ser um petisco.
Ah ! pois é ...

Abraços
Pedro Barata

Miguel Brito said...

Com esforço ainda se consegue... De há uns meses para cá, com boa vontade e carolice de alguns entusiastas, foi possível montar o esquema de um encontro mensal de carochas, em pleno centro de Cascais, e com o apoio da camara Municipal, cedendo o espaço e autorização, e de participação gratuita para os carochistas que lá se apresentem: 1ºs domingos do mês, de manhã. E já vem publicado no boletim municipal!...

Mike Silva said...

Ainda bem!

Fico contente por saber disso. Como "doente" por carochas, e com um barracao cheio deles, estava ja a pensar em prensar tudo,porque para ir a um encontro em Lisboa , era necessario fazer um credito pessoal...

Porreiro. Forca!