Friday, 28 March 2008

Mas quem é este gajo que vem para aqui escrever sobre carros?


Vá! Confessem que já tinham perguntado isto...



Quem tem acompanhado este site , de certeza que já percebeu que não venho para aqui escrever porque estive no café a ler revistas de carros.


Porque escrevo então sobre carros ? Bom, essencialmente porque TENHO de escrever. só quem aprecia a leitura e a escrita, pode perceber o que digo. Porquê carros? Porque eles têm feito parte da minha vida desde tenra idade. Aliás, a escrita e os carros sempre andaram de mãos dadas aqui para estes lados.


" Mas eu nunca ouvi falar deste gajo"- Dirão os mais atentos.


Principalmente, porque sempre estive ocupado em sobreviver num País onde ir ao Estoril, mesmo que seja ver uma prova de AX GT, significa ser rico. E além disso ,não há muito por onde escrever num País onde só um MG com um gajo de bigode, bóina e cachimbo é que é bem visto. E onde só ele consegue passar a barreira intransponível do segurança com botas e transmissor.


Um País, onde lemos vezes sem conta " Com a qualidade que a (...) sempre nos habituou ", e sabemos de olhos fechados que aquela marca nem sair do Stand consegue sem se avariar.


" Mas eu tenho de escrever bem do carro, porque senão não me convidam para um próximo lançamento!..." Dizem-me em surdina os meus amigos jornalistas que escrevem e ensaiam automóveis em Portugal.


Entretanto, tendo "enchido a barriga" de tudo quanto é do bom e do melhor no que diz respeito a carros, ter possuído alguns modelos que nem nos meus mais violentos e inimagináveis pesadelos e sonhos julgaria possuir,de ter feito dois livros, ter participado num livro Inglês, e de ter ganho um prémio de escrita promovido em parceria com a BBC, resolvi partilhar a minha experiência com os meus amigos.


Iniciei a minha colaboração como correspondente na revista de referência portuguesa que todos sabem, bem como esporádicas colaborações em Média ingleses, e mesmo um Holandês. E iniciei outro livro.


Tentei também os fóruns sobre automóveis portugueses, mas encontrei a boçalidade , novo-riquismo e sobranceria em muitos deles. Alguns, mergulhados em "regras e proibições" por dá cá aquela palha, mesmo à típico portuga, mataram à nascença qualquer tentativa de mostrar algo que fosse novo. O medo de tudo o que seja diferente, parece ameaçar mentes fundamentalistas.
Não consegui , portanto, enquadrar-me nestes feudos restritos. Participo em dois actualmente, com muito gosto, onde se debatem idéias de um modo salutar e transigente.


" Não admito que venha para aqui dizer mal do Jaguar "E"...!" ( Rir)


Portanto, eu queria mais: Ora pôrra! Vinte cinco anos a lidar com carros, uma extensa passagem pela Força Aérea e pelo ACP, e uma profissão exercida em Inglaterra no mundo automóvel clássico e desportivo, têm que se lhes diga. Por isso criei o "Sala das Máquinas".


Como podem ver, dá praticamente para encher a praça de touros do Campo Pequeno com o número de visitas deste site em dois meses. Isso motiva-me a trabalhar para que a minha mensagem continue a passar: A de que o automóvel é algo que todos temos direito, faz parte dos nossos sonhos e memórias, e que temos o direito de gostar de guiar seja o que fôr, se isso nos dá prazer.
Não temos de nos sentir obrigados a andar de Carocha ou de Mini. Ou de MGB, se formos boçais o suficiente. O dinheiro, infelizmente, não é distribuído de acordo com o bom gosto das pessoas. ( Três mil contos por um MGB! Aahahahahahahahah)


Há por aí muitas máquinas que nem sonham, nem nunca ponderaram, que vos podiam dar horas e horas de entertenimento e prazer. E memórias. O futuro hoje, é apenas um jogo gigantesco que importa escolher e decidir. As opções ,hipóteses e oportunidades explodiram violentamente assim que passei Vilar Formoso.


É por isso que finalmente posso escrever sobre carros, sem dever nada a ninguém.Aqui sabem que escrevo porque guiei, e na maior parte das vezes consertei muitas destas máquinas. Duas actividades dificeis de reunir numa só pessoa. Escrever sobre carros e trabalhar neles!
Tenho conhecido pessoas extraordinárias, com este projecto, não só em Inglaterra, como em Portugal,EUA, Polónia, Holanda,Itália e República Checa. O meu mais sincero agradecimento a quem me tem dado força, e também aqueles que me têm deitado abaixo, pois isso também me fortalece para continuar.
Esta, é a sala das Máquinas. Bem vindo!

9 comments:

Paulo said...

Eu sou Fan do Miguel, você é directo e sincero, esta é a minha opinião, nâo me desiluda (ah.ah).
Na minha opinião em Portugal o carro ainda é sinónimo de Status Social, as pessoas olham para o seu carro como uma extensão de si próprio. Tem de ser melhor que o do vizinho. Em relação aos Fóruns é sempre aquele problema da clubite, do grupo de amigos, da Elite, etc, está é a minha opinião.
Continue Miguel a surpreender-nos com as suas fotografias desses máquinões Antigos e Modernos, por terras de Sua Majestade.
Paulo Silva

fernando barella said...

Foi preciso cair no Portal dos clássicos para me vir estatelar aqui.Dificilmente me recomporei e abandonarei este blog.Mas quem é este gajo e por onde andou este tempo todo que eu nunca o li? O gajo está lixado porque vou andar na cola dele .
Parabéns e força Miguel.

Mike Silva said...

Muito obrigado pelas vossas palavras de apoio, que recebo aqui no centro de Inglaterra debaixo de um dia chuvoso.

Quero que saibam que continuarei a procurar no fundo do baú, aspectos e máquinas normalmente esquecidas e menosprezadas,e para que saibam que é possível continuar a sonhar.

José said...

Olá Mike
Eu sou o tal gajo...que lhe encho o mail de patetices, e recebo sábios pensamentos de um "engineer", que suja as mãos, e sabe explicar ...muitas fantasias.
Meu caro...apenas para o cumprimentar, e saudar esta Sala das máquinas...muito limpinha.
Um forte abraço.
M.C.

nuno said...

Desde que descobri o "Mike" há alguns meses atrás no fórum dos tugas britânicos, que devoro todos os seus comentários e opiniões.

Este blog é só mais uma extensão para o conhecimento que agradavelmente vou adquirindo às custas da sabedoria do Mike.

Força e continue assim.

Pedro Barata said...

Olá Mike,
À um tempo atrás deixou-me uma mensagem em relação ao meu Blog (Blog dos Clássicos), que me deu força e animo para continuar com o projecto que penso melhorar.
Desde então fui lendo as suas crónicas e intervenções em alguns fóruns e devo dizer que me revejo naquilo que escreve e sim também estou cansado do clubismo e elitismo que vai governando o mundo automóvel em Portugal.
Já não aguento ver o entusiasmo frenético por cada 4L que é restaurada ou o 2CV, quando há carros muito mais interessantes a apodrecer nas nossas sucatas.
Já me alonguei, mas é só para dizer que tenho pena que um Português para escrever a sua opinião tenha que sair do país, mas ainda bem que saiu, assim já podemos lê-las.
Força com esses projectos e espero um dia ter o prazer de o conhecer pessoalmente.
Um abraço,
Pedro Barata

Mike Silva said...

Nao considero patetices palavras de conforto que vem da terra que me viu nascer, e que tornam esta terra que me acolhe naturalmente mais familiar.

Esta,mal ou bem, e a minha visao sobre as maquinas que nos rodeiam,e agrada-me proporcionar uma perspectiva diferente acerca do mundo motorizado.

Mais uma vez, obrigado pelo vosso apoio,e continuem a apreciar estes pedacos de memoria e do sonho que nadam incessantemente no pensamento de cada um de nos.( Desculpem pela falta de acentos.)

nanda said...

Olá Miguel ,tomei conhecimento com os seus escritos no forúm dos Tugas , e por curiosidade vim parar ao seu blog, que por sinal é bem interessante.Adorei as fotos, gosto muito de carros classicos,não só pela estética , mas também pela história que se "respira" e que nos lança em memórias sonhadoras.Gosto do seu estilo literário,mordaz, sacástico e também o seu humor e sempre que posso leio os seus escritos, agora descoberto este blog, continuarei a segui-lo com interesse,parabéns e força nesse projecto.
Fernanda Vale

Mike Silva said...

Estou sem palavras perante as mensagens de apoio que me transmitem.Muito obrigado.

Pela minha parte, vou continuar a gastar o teclado e a objectiva da máquina, a tentar ver se não rebento a cabeça com a tempestade cerebral que fustiga os meus sentidos desde que aterrei nesta bendita ilha.

Esta, é a sala das máquinas!