Sunday, 16 January 2011

Regresso a Portugal

Um A7 bilugar de treino aguardando restauro para figurar no Museu do Ar


Não. O regresso é apenas temporário, se por acaso estiverem a perguntar. Regressar a Portugal é um tema que está presente na cabeça do Português sempre que ele se encontra no Estrangeiro, e trata-se de estar sempre a colocar numa espécie de "balança" os prós e os contras de viver num e noutro País.
Fui a Portugal, à boa maneira emigrante " Passar o Natal" como se costuma dizer. Este "passar", é como em " passar uma tempestade", ou "passar por entre um bairro degradado cheio de criminalidade num carro luxuoso com os vidros abertos".

"Passar o Natal em Portugal" para os emigrantes significa sempre vir a guiar, o que fiz. Até aí tudo bem. Vim sempre a acelerar até um máximo de 130 Km por hora, o que me levou a ser constantemente ultrapassado por outros emigrantes a bordo de Audis e Mercedes suíços. Os emigrantes na Suiça são os que têm os melhores carros. Carros de matrícula inglesa não ví nenhum, portanto se viram por aí em Portugal um , devia ser o meu. Muitos vizinhos da minha filha já deviam comentar entre dentes " mas ela já tem carta?", por a verem sentada no lugar esquerdo a falar ao telemóvel. Sem repararem que no lugar do volante, vive agora despreocupadamente um porta-luvas.


Vista da Base Aérea de Sintra , e lá ao fundo mais uma etapa deste plano sórdido de alcatroar e fazer estradas em cada centímetro de Portugal ( não ocupado por estádios e centros comerciais)

Em termos de máquinas, tive de vir ao Museu do Ar em Sintra. Talvez por ser dia da semana, tive o Museu praticamente todo para mim, e pude falar demoradamente com as pessoas que mantêm o Museu, aproveitando sinergias e conhecimentos comuns existentes nos dois países em relação ao restauro de aeronaves. Fiquei absolutamente surpreendido pela positiva com o cuidado e o empenho posto no Museu e com a qualidade das exibições. Com o entusiasmo que transparece nos funcionários e com os projectos em curso.
Excepção feita a pequenos contactos com amigos, posso dizer que este foi o episódio mais feliz da minha ida a Portugal. Uma manhâ onde estive cercado por máquinas , sem me chatearem, e onde nada mais interessou. O resto foi um desfilar de miséria, doença, desemprego e de pessoas que andam tontas da cabeça e já não sabem o que fazem. Centros comerciais e centros comerciais que despontam como cogumelos. Estradas, estradas, e mais estradas e viadutos . Tudo a pagar a peso de Ouro quando estiver pronto, que levará a malta a ir pela Estrada Nacional à mesma.
Eleições. Candidatos que todos já cohecemos de gingeira e que insistem em ver falar-nos das ladaínhas do costume, feitos vendedores de banha da cobra. " Os emigrantes são uma mais-valia importantíssima"-dizem eles sempre. Mais valia ficarem calados. Os emigrantes são imediatamente esquecidos no momento que colocam a cruz no boletim de voto. Eles e todos os portugueses. Segue-se então mais quatro anitos a viver à pala. Não estou interessado.


Um belo F-86 Sabre junto a um helicóptero Allouette II e um PV2, em Sintra

Era essa a "mais-valia" a que eles se referiam. Um exército de pessoas além-fronteiras que convém ter à mão e engraxar para lá irem depositar o voto. Por mim podem arranjar uma cadeirinha se estão à espera que eu lá vá votar e pôr lá algum deles. Espero que esteja um dia bonito para ir voar, lavar aviões, ou varrer o hangar. Quando falarem de "dever cívico" deviam antes pensar no "dever" como políticos de melhorar a Vida das pessoas. Adiante...

Uma última palavra aos meus "amigos" muito ocupadinhos que quando lhes telefonei me disseram: " Então vais-te embora em que dia? Dia 3? Ah, então a gente ainda se vê até lá..."
Os dias passaram , e a gente " não se viu até lá". Não se macem em ligar , que eu já regressei a Inglaterra há uma semana.Compreendo que estejam muito ocupados. Espero que estejam a enriquecer a trabalhar. Não se esqueçam de ir votar .
Um spitfire português! Infelizmente é uma réplica feita em alumínio. Os verdadeiros que sobraram foram dados ao Reino Unido...para serem destruídos no filme " The Battle of Brittain" de 1969! Portugal no seu melhor...



4 comments:

Castanheira said...

Já tinha saudades da sala das máquinas!

Pois é... eu fui dos vi o tal carro de matricula inglesa e volante á direita.:D
Cruzámo-nos num Domingo no parque de estacionamento do Cais Fluvial de Belém. Eu estava junto da malta dos MX-5. Como o apanhei em amena cavaqueira com um amigo motociclista, não o quiz importunar. Fica para uma próxima oportunidade.
Um abraço e fico a aguardar por novas crónicas de UK.

OUTONO said...

Grande Mike

Mais um "must" da aviação....sem dúvida. E nunca lhe agradecerão o esforço...creia!
Penitencio-me de ter sido um dos "tais amigos" que não teve tempo de o saudar num abraço! Coisas de um final de ano atribulado, como lhe referi. E eu que tinha uma prenda especial oara si...para SER DADA PESSOALMENTE.
Acredite...foi mesmo má sorte!
Um abraço. Bom ano. Boa saúde!

MS said...

Amigo Outono,nesse caso a culpa foi totalmente minha, pois não sabia onde tinha posto o telefone do meu amigo. Mea culpa. Um abraço.

MS said...

Castanheira,não importuna nada! Foi pena. Estive ao pé dos Mx5 também. Fica para a próxima. Um abraço.