Sunday, 5 July 2009

Goodwood Festival of Speed 2009

O sempre surpreendente Veyron, com "roupa" exclusiva...




Alan Jones, o lendário piloto dos anos setenta , ( De T-Shirt Preta) e o seu carro de outrora reunidos em Goodwood.



Não existe nada de comparável com o Goodwood Festival od Speed ( GFS). Podíamos chamar-lhe um "evento automóvel", mas isso era o mesmo que comparar a ponte sobre o Tejo com aquelas pontes feitas de cordas nos desfiladeiros da América Central.



OS "habituais " de Peeble beach e de Villa d Este visitam sempre Goodwood







V8 e setecentos cavalos? Bem-vindo então...


A Força Aérea não faz deslocar helicópteros e caças topo de gama para demonstrações a eventos "automóvel". Peter Fonda não guia a sua moto com que entrou no filme " Easy Rider" nos anos sessenta. Não enviam dez contentores com carros dos EUA para qualquer "evento automóvel". A Alfa Romeo não esvazia o seu museu e o faz deslocar para outro país só por causa de um "evento automóvel". Nem se pode contactar com o Bloodhound SSC, que vai tentar quebrar o record do Mundo de velocidade. Ou ver pela primeira vez a acelerar em pista o novo "familiar" da Porsche,Panamera. Ou o Tramontana. Uma espécie de F1 de dois lugares, legalizado para andar na estrada.






Deixar o Fernando Rocha tripular o Monster 1000 CV tinha sido uma má idéia...




Os americanos fazem deslocar a Goodwood um impressionante dispositivo NASCAR. A maior organização fora dos EUA para este tipo de corridas!


Goodwood, é um evento, onde os responsáveis se juntam todos os anos, e devem pensar: "Ora bem, deixa cá ver como podemos superar as expectativas do ano passado? ". Normalmente conseguem, com a ajuda das dezenas de celebridades e pilotos de todas as épocas que acorrem ao Sul de Inglaterra para maravilhar multidões.






Nos momentos "mortos" ( Se é que os existem) há sempre um caça Typhoon Eurofighter à velocidade do Som por cima das nossas cabeças, ou a Cessna a demontrar o seu novo Corvalis ou o maior avião monomotor da actualidade, o Caravan Amphibian. Disponíveis no aérodromo da quinta. Ou a Porsche e a Bowler a possibilitar aos visitantes experiências em todo-o-terreno.




O que é "isto"? Bom, chamemos-lhe um F1 para andar na estrada... O Tramontana!



O Porsche que sonhou um dia ser um Mondeo...O Panamera.



Falar sobre Goodwood, é uma tarefa dificílima. Para resumir, é um Festival que reune numa quinta com quatro quilómetros de comprimento, máquinas de sonho em acção. Não existem alcatifas e correntezinhas. Apenas barulho ensurdecedor de V8 e V16, cheiro a gasolina, pilotos a conversar com o público, e Staff a gritar com as pessoas para deixar passar o Porsche ou o Ferrari que se avariou. A empurrar Fórmulas 1 por entre famílias com carrinhos de bebé, e a pedir desculpa pelo incómodo. É falar com Alan Jones ou Bruno Senna. Ou Takuma Sato. Ou Jacques Laffite. Ou Eddie Irvine. Deixo-vos aqui estas imagens, que foram tiradas este fim-de-semana, num dos locais mais emblemáticos do planeta.

Mil rebarbadoras ligadas a potentes altifalantes no céu!Se o fim do Mundo tivesse banda sonora, seria esta! Se fosse possível ouvir isto em todo o esplendor dentro de casa, os vidros explodiam! O Eurofighter Typhoon da RAF...




Ir a Goodwood, é uma opção que não nos deixa dormir mesmo meses depois. Adormecemos a pensar que o nosso modesto quatro cilindros em linha duplicou de tamanho,e temos de nos referir a ele começando por "V". E o escape caíu. E que no lugar dos bancos traseiros, repousa agora um roll-bar e um depósito de combustível. Até que o desperador finalmente toca...



Mike Silva com Bruno Senna. Brevemente, o nome Senna estará de volta à F1!

( Visite http://www.goodwood.co.uk/) e clique em "motorsport" para ver os vídeos promocionais e começar a bater com a cabeça nas paredes. Para o ano a gente vê-se por lá...)

3 comments:

OUTONO said...

Sempre a abrir...amigo MikE!

Um abraço!

Marcus Lauria said...

Quem sabe um dia não vou ai a trabalho. Te aviso !!!!

Castanheira said...

Devem ter sido umas 48 fantásticas e dormir para quê, enquanto houver motores a trabalhar a pestana é para estar aberta.
Obrigado pela crónica, sempre dá para matar o bichinho e ficar ainda com mais pena de não ter estado presente. Cumprimentos