Sunday, 1 June 2008

Veículos militares:Os vencidos na guerra contra o tempo


Um modelo semelhante ao que o "Rambo" escavacou em "First Blood"

A "tropa" proporcionou a quem teve o privilégio de servir uma bandeira,além de camaradagem que sobreviveu à erosão do tempo, experiências únicas a bordo de verdadeiros ícones da História dos veículos motorizados.
A "tropa", sempre foi um dos poucos locais da nossa existência, onde pudemos experimentar máquinas exclusivas e estranhas, que de outro modo não poderíamos sequer nos atrever a tripular. Veículos que pura e simplesmente não foram desenhados para estradas, e muitos dos quais foram até concebidos para rebentar com elas.

O indestrutível Kubelwagen, primo dos carrinhos de luxo de agora...

A guerra e as forças armadas, produziram ao longo da História instrumentos que tinham de cumprir a sua função em condições extremas , onde a mínima falha poderia resultar no fracasso de uma missão, ou no pior! Por isso, os veículos militares sempre foram escolhidos a dedo, e preparados para as mais duras circunstâncias.




Lutou na Bósnia, agora luta por ser fotografado...

Por exemplo, para falar dos casos mais conhecidos, o indestrutível Kubelwagen , construído sobre os primitivos chassis de carocha, permitia ser desatolado por quatro soldados, e efectuou testes non stop nas estepes geladas da Rússia e no calor abrasador de África. Mesmo com tiros no motor e com apenas dois cilindros a funcionar, o pequeno Kubel conseguia continuar em funcionamento.



O único Ford T militar com metrelhadora Vickers existente no Mundo

O modelo "Lightweight " do não menos robusto Land Rover, deve o seu nome á possibilidade de ter sido concebido para ser facilmente transportado em carga suspensa por um helicóptero Westland Wessex.

O problema dos veículos militares clássicos, salvo algumas excepções, é que não foram concebidos para circular na via pública. Nem matrícula possuem sequer. A sua pouca economia, aliada a uma manutenção especializada, e a uma dificuldade acrescida de ter de obedecer às regras de circulação na via pública, para lhe ser atribuida uma matrícula, fazem destes excepcionais veículos concorrentes pouco populares na hora de escolher um veículo clássico.



Equipada para a "guerra" dos parques de campismo...

Não obstante, estes veículos continuam a ser alvo de interesse, por uma camada de entusiastas que recusam a deixar perecer tamanho testemunho da nossa História colectiva. Maioritáriamente ex-militares, e muitos com conhecimentos avançados de hidráulica e pneumática, armas e equipamentos, mas sobretudo com um grande apreço por manter semelhantes engenhos em condições de funcionamento, estes entusiástas formam uma classe aparte, onde quase religiosamente, estas máquinas que porventura lhes recordam os melhores anos das suas vidas , voltam de novo a juntar camaradas em redor de uma mesa de campanha para um jogo de cartas.
Existe mesmo um clube de proprietários de TANQUES DE GUERRA, que se reune anualmente no Sul de Inglaterra, para o "Tankfest". Um dos proprietários, possui o único PANZER alemão em funcionamento fora da Alemanha!
Claro que não dá para ir a Belém aos Domingos passear a família de TANQUE, e muitas destas máquinas têm mesmo de ser transportadas em atrelados, mas são uma mais valia riquíssima para qualquer evento motorizado, seja de clássicos ou não.

Um veículo militar clássico, não será certamente a melhor escolha para qualquer um de nós. Da próxima vez que passar por um ferro-velho com material militar, pense na euforia que seria ver semelhante engenho num encontro! Tente divulgar ao maior número de pessoas possível o que viu, mesmo no estrangeiro. Muitos das Ferrets da FAP ( Blindados com motor Rolls -Royce) foram de camião para Inglaterra, e uma pelo menos está no museu de Duxford. Quem perdeu nesta história?
Temos de perceber, que seja qual fôr a origem de uma máquina, o seu preço ou a sua viabilidade como utensílio de lazer, esta será sempre uma máquina com um passado, e com uma história. E é à volta dessas Histórias e emoções passadas , que passamos muito do nosso tempo quando falamos sobre clássicos.
Nesse aspecto, os veículos militares clássicos estão indiscutivelmente bem posicionados para uma vitória.




" A geração da mangueira" ! Por dentro e por fora, Àgua para cima!

3 comments:

Dom Fuas. said...

Foi mais uma vez com grande entusiasmo que li esta crónica pois tive como especialidade na tropa "condutor de viatura blindada M113" o qual foi uma esperiência sem igual poder manobrar aquele pequeno monstro.

Miguel Brito said...

Quero apenas recordar que dia 14 de Junho vai-se realizar o 2º desfile/encontro de veículos militares antigos em Linda-a-velha, no antigo quartel de transmissões. Prevê-se bastante interessante.

Mike Silva said...

Se estivesse em Portugal, seria um desfile a que não faltaria, certamente.

Um veículo militar, é sempre uma mais valia visual e histórica, ou mesmo social, para qualquer encontro ou evento de clássicos.

Muito obrigado pela sugestão, que nos deixa felizes por saber que existem pessoas em Portugal a "tomar conta" desta nossa importante fatia da nossa identidade.